segunda-feira, novembro 06, 2017

Augustus Nicodemus Lopes

CRISTIANISMO E UNIVERSIDADE (4)

BÍBLIAS NA UNIVERSIDADE?

Em 2011 um dos grandes jornais de São Paulo publicou uma matéria intitulada “A Bíblia do Mackenzie,” onde o articulista comentava a entrega da Bíblia do Mackenzie pelos capelães aos calouros. A prática é antiga na Universidade e ganhou publicidade apenas mais recentemente. Este mesmo jornal noticiou um fato curioso sobre o Nobel Orhan Pamuk, que em dezembro do ano passado falou aos estudantes do Mackenzie e recebeu de presente uma Bíblia Mackenzie trilíngue. No caminho para o aeroporto, Dr. Pamuk, que se declara ateu, deu a Bíblia de presente ao taxista que o atendeu. O fato, considerado curioso, foi divulgado nas mídias sociais.
Por que o Mackenzie entrega Bíblias a nossos alunos e convidados? A razão é simples. Para nós, cristãos em geral e presbiterianos em particular, a Bíblia não é um livro comum, mas a própria Palavra de Deus. É nela que encontramos a revelação exclusiva que Deus faz de si mesmo e dos planos e propósitos que Ele tem para a humanidade. Portanto, para nós, não há livro mais importante do que ela. Assim, ao presentearmos nossos alunos e nossos convidados com uma Bíblia, estamos demonstrando nosso mais profundo apreço por eles, pois estamos passando às suas mãos nosso mais valioso tesouro.
É importante observar que não adoramos ou reverenciamos a Bíblia, como se fosse objeto de culto. Através da história do mundo governos hostis ao cristianismo queimaram milhões de cópias da Bíblia em praça pública sem que os cristãos tenham reagido com violência ou promovido levantes e motins. Pois para nós o valor da Bíblia não está em suas páginas impressas, mas na mensagem divina ali contida.
É na Bíblia que encontramos os fundamentos da visão de mundo que permitiu que pesquisadores e filósofos cristãos lançassem a base da ciência moderna e fizessem descobertas que avançaram nosso conhecimento do mundo. Uma olhada ainda que breve na história da ciência revelará que entre os cientistas cujas pesquisas deram origem a diversos ramos da moderna ciência estão aqueles que viam a Bíblia como a revelação de Deus, ao lado da natureza. Para eles Deus havia se revelado nas coisas criadas, que eles chamavam de “o livro da natureza” e também na Bíblia, que seria sua revelação particular e especial à humanidade. Como tanto a natureza como a Bíblia procediam de Deus, não haveria entre estes dois “livros” qualquer contradição inerente. É claro que eles tinham consciência de que a linguagem da Bíblia não é científica, mas meramente descritiva dos fenômenos naturais da perspectiva de um observador comum. A maior parte destes cientistas via a Bíblia e a natureza como fontes do conhecimento de Deus, as quais se complementavam para nos dar um entendimento mais completo de Deus, do mundo e da humanidade.
Não podemos deixar de notar aqui a influência sobre alguns destes cientistas da maneira como João Calvino via a Bíblia em questões relacionadas com as controvérsias científicas que já haviam em seus dias. Refiro-me especialmente à tese de Copérnico, que a Terra se movia em torno do sol, e que estava ganhando grande aceitação. Curiosamente, a Igreja Católica, que geralmente tinha uma interpretação alegórica das palavras da Bíblia, aqui preferiu seguir uma interpretação literal dos textos bíblicos que falavam sobre o movimento do sol em torno da terra (Josué 10.13; Salmo 19.6; etc.) Na Contra-Reforma, o cardeal jesuíta Roberto Belarmino (1615) rebateu um monge carmelita que sustentava, como Galileu, a teoria do movimento da terra. Belarmino argumentou que os Pais da Igreja entendiam as passagens bíblicas sobre o movimento do sol em torno da Terra no sentido literal. Para ele, isto era matéria de fé, pois quem negava estes textos era tão herético como quem negava que Jesus nasceu de uma virgem. E esta foi a posição da Igreja Católica.
Em oposição a esta interpretação literalista, Calvino, mesmo seguindo o sistema astronômico prevalente na época (geocêntrico), entendia que a diferença entre os autores bíblicos e os astrônomos era que, em sua opinião, os primeiros escreveram de maneira popular, descrevendo as aparências, aquilo que pessoas de bom-senso fossem capazes de compreender, sem usar aquela linguagem e descrições científicas que os astrônomos usam em suas pesquisas. Ou seja, Calvino não entendia literalmente tais passagens bíblicas, preferindo ver nelas uma acomodação do Espírito Santo ao entendimento popular. Esta teoria da acomodação de Calvino influenciou grandemente astrônomos seguidores de Copérnico, nos países protestantes, como Edward Wright e provavelmente Johannes Kepler.

-->
Por fim, faz parte de visão confessional de educação que os alunos tenham conhecimento da Bíblia e da sua mensagem. Faz bem à mente e ao coração.

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

6 comentários

comentários
Mel Barbosa
AUTOR
6/11/17 12:26 delete

Eu me converti dentro da Universidade quando cursava o curso de Direito...foi o contato perseverante de crentes fiéis com a Palavra de DEUS que fez com que eu pudesse conhecer essa mesma Palavra.Em um tempo de angústia e dor a Palavra de DEUS foi para mim um refrigério...eu nunca havia crido que Ela de fato era a Palavra de DEUS, mas foi a partir das minhas vivências com aqueles irmãos, que se reuniam para proclamar as verdades eternas que fui chamada a servir a DEUS.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
7/11/17 21:47 delete

Cabe aos que não conhecem o Poder das Sagradas Escrituras o processo de desconstrução de seu valor histórico e espiritual. Em contrapartida, cabe àqueles que a conhecem e a praticam a sua defesa e disseminação... Simples assim!!!

Responder
avatar
8/11/17 11:54 delete

Graça e paz. Rev.Augustus Nicodemus Lopes, gosto muito das suas pregações mas gostaria de levantar uma questão:
Sobre o tema da Redação do Enem domingo(surdez).O que a Igreja e líderes tem feito para ter Acessibilidade aos Deficientes Auditivos?Vejo que a inclusão nas Igrejas são péssimas.Como vão "ouvir" a Palavra se não tem acessibilidade?Eu perdi audição adulta.Não consigo ouvir o "em poucas palavras" áudio.As igrejas presbiterianas são as que menos tem interprete de Libras.Sua igreja tem?

Eu domino o português , maioria não e não entendem a Bíblia.Cheguei a conclusão:As igrejas lutam contra as pregações de curas e milagres que as neopentecostais só sabem falar sobre isso.Mas não oferecem inclusão para os que correm deste tipo de pregação rasa, para se aprofundarem na palavra de Deus me sinto extremamente triste por isso.Falo isso com lágrimas nos olhos...
Greiziane Soares
Belo Horizonte-MG

Responder
avatar
16/11/17 00:47 delete

Que bacana, Mel. Sinto-me feliz por você. Cursarei Direito também. Você já viu a Bibliografia Básica Reformada disponível aqui no site?? Dá vontade de comprar todos os livros! Tenha uma boa semana, graça e paz.

Responder
avatar
Priscila
AUTOR
16/11/17 13:38 delete

A "acomodação do Espírito Santo" serve pra Gênesis? a criação do mundo, o jardim do édem e etc. Pq dessa forma,a teoria da evolução ganha ainda mais força.

Responder
avatar